18 de Junho de 2019

VARIEDADES Domingo, 09 de Junho de 2019, 17h:53 - A | A

GESTÃO EMANUEL

Cuiabá é um dos primeiros de MT a definir sustentabilidade como prioridade

Por: Redação Muvuca Popular

image

A Secretaria de Meio Ambiente e Desenvolvimento Urbano participou na última quinta-feira (6,) de palestra realizada no auditório da Unirondon para dialogar sobre gestão compartilhada em políticas públicas para preservação do Meio Ambiente. O convite foi feito pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente (SEMA), organizadora do evento.  

“Nós criamos uma diretoria de sustentabilidade. O prefeito assinou em Brasília a participação de Cuiabá na Agenda Ambiental na Administração Pública (A3P), que é uma parceria com a ONU e Ministério do Meio Ambiente”, explicou o secretário-adjunto da Secretaria de Meio Ambiente, Jackson Messias.  

Cuiabá é um dos primeiros municípios a incorporar sustentabilidade em sua gestão como um todo. Em 2018, o prefeito Emanuel Pinheiro sancionou Lei que criou o Plano de Desenvolvimento Sustentável da capital, chamado Cuiabá +300.  

“Em nossa Secretaria, não temos mais copos descartáveis. E estamos trabalhando na conscientização dos funcionários sobre o uso dos copos de cafezinho. Em mudar de atitude e cada um ter o seu copo. Estamos trabalhando para que seja uma política permanente”, pontuou o secretário-adjunto.  

Jackson Messias ainda falou sobre os projetos da gestão que estão em andamento, como o plantio de mudas pela cidade, a coleta seletiva realizada em 25 bairros da capital, o projeto Cata-Treco, a Diretoria de Bem-Estar Animal, os pontos de ônibus feitos de containers reutilizados. Tudo para frisar a importância da educação ambiental e construção de uma Cuiabá cada vez mais sustentável.  

“Eu achei muito importante este projeto de pontos de containers no Centro, porque a gente passa muito calor e eles foram uma solução que eu observo que todo mundo amou”, comentou a professora de biologia, Simone Cardoso, que participava do evento.  

A ocasião também foi de apresentar sugestões, afinal, gestão compartilhada é feita principalmente com a participação da população. “Eu senti necessidade de uma interação digital de educação ambiental no container, acho que poderia ter alguma coisa lá pra que as pessoas pudessem se informar. Eu gostei muito do evento aqui, aprendi muito e sei que a educação ambiental é um trabalho de formiguinha, eu sou uma das formiguinhas que vai espalhar esse conhecimento pra outras pessoas”, completou a bióloga.

Imprimir


Comentários